O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ex-companheiro de Ronaldinho no Barça se oferece para jogar na Chapecoense.

Gudjohnsen e Ronaldinho na Chape
Gudjohnsen e Ronaldinho na Chape Foto: Albert Gea / Reuters
Extra

Comovido com o acidente de avião envolvendo a equipe da Chapecoense, o atacante islandês Gudjohnsen, de 38 anos, se ofereceu para jogar pelo clube catarinense em postagem no Twitter, neste domingo. Mais do que isso, ele aproveitou para convocar o amigo Ronaldinho Gaúcho, com quem atuou no Barcelona.

“Por respeito, eu gostaria de jogar pela @ChapecoenseReal se eles tiverem um lugar pra mim! Nem que seja apenas para jogar com Ronaldinho novamente”, escreveu o jogador.

Além de Gudjonhsen e Ronaldinho, outro nome que tem sido especulado na Chape, nas redes sociais, é o do argentino Riquelme, que no momento está aposentado.
A Chapecoense perdeu 19 jogadores no acidente da última terça-feira e tem apenas 10 jogadores em condições de jogo em seu elenco, no momento.

Jornalista sobrevivente do acidente com a Chapecoense fala pela primeira vez: ‘Deus me deu uma segunda chance’

O jornalista Rafael Henzel é um dos sobreviventes
O jornalista Rafael Henzel é um dos sobreviventes Foto: Reprodução do Facebook
Extra

O jornalista Rafael Henzel, um dos seis sobreviventes do acidente com o avião da Chapecoense, falou pela primeira vez nesta segunda-feira. O narrador conversou com os amigos da Rádio Oeste Capital, de Chapecó e, numa declaração emocionada, disse “Deus me deu uma segunda chance”.

"Oi pessoal, bom dia a todo mundo. Estou com a voz assim porque estou há muito tempo sem usar. Dizer que está tudo bem. Estamos avançando. Deus me deu uma segunda chance e a gente vai comemorar muito, todos nós. Tudo vai ficar bem. Tavinho tá bem. Logo nós vamos para casa para curar todas as lesões. O importante é que estamos vivos aqui pronto para a próxima. Beijo para todo mundo", disse o jornalista.
Os sobreviventes apresentaram melhoras graduais de sábado para domingo. Segundo os médicos que acompanham o tratamento do grupo em Medellín, na Colômbia, os quatro seguem na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), em quadro delicado.

De acordo com o médico Marcos André Sonagli, que está na Colômbia, três estão respirando sem a ajuda de aparelhos — os jogadores Alan Ruschel e Jackson Follmann, além do jornalista Rafael Henzel.

Já o zagueiro Neto segue entubado, respirando com a ajuda de aparelhos. O jogador ficou agitado durante a noite após ter a quantidade de sedativo reduzida. Seu caso é o mais delicado, segundo os médicos.

No dia do acidente, o jornalista Rafael Henzel postou em suas redes sociais uma foto dos jogadores dentro do avião, provavelmente uma das últimas imagens antes da tragédia. “Quase decolando. Equipe clássico oeste capital FM. Estamos com a Chape no voo para Medellín com escala na Bolívia em Santa Cruz de La Sierra. #seguindoaChape", escreveu Rafael. Ele também gravou uma mensagem do zagueiro Neto para a torcida do time e, ainda, uma foto das bagagens do time.

Sem saber, torcedores compram camisas encomendadas por Danilo Goleiro solicitou 50 peças com seu nome para dar de presente para amigos e familiares nas comemorações de Natal. Modelo esgotou em loja oficial da Chape

Por Chapecó, SC
Camisa Danilo Chapecoense (Foto: Arquivo pessoal)Camisa personalizada que Danilo presentaria amigos e familiares (Foto: Arquivo pessoal)
Muitos torcedores que buscaram lembranças da Chapecoense nesses últimos dias nem imaginam que podem ter levado para casa uma encomenda do ídolo Danilo, que morreu na queda do avião da equipe na Colômbia. Antes de viagem, o goleiro pedira 50 camisas personalizadas com seu nome a umas das lojas oficiais da cidade para presentear amigos e familiares nas comemorações do Natal, mas, infelizmente, não conseguiu voltar para buscá-las. As unidades, então, acabaram sendo colocadas à venda.
As camisas personalizadas, que custaram R$ 60 e se esgotaram, não são oficiais, mas licenciadas pelo clube. Os modelos encomendados pelo goleiro, ídolo da torcida da Chape, ganharam um detalhe que faz toda diferença: o número 1 e o nome de Danilo às costas.
A relação do goleiro com a Chape se perpetuou após a atitude de sua mãe antes e durante o velório, na Arena Condá. Dona Ilaídes, mesmo com toda situação adversa, mostrou força, esbanjou gratidão e distribuiu carinho para quem precisava muito menos do que ela. Representou a altura o filho.
Após o velório coletivo na Arena Condá, o corpo do goleiro foi levado para Cianorte, no Paraná. Com a presença de centenas de pessoas, entre familiares, amigos e fãs, ele foi enterrado às 16h.
Se Danilo ficará marcado eternamente no coração dos torcedores, para 50 deles a relação com o goleiro agora está, mesmo sem saber, ainda mais próxima.
*Amanda Kestelman, David Abramvezt, Felippe Costa e Janir Junior participam da cobertura em Chapecó.

Perto do fim do contrato, Lucas Bacelar estuda futuro: "Pode ser que eu saia" Atacante do River-PI deixa no ar a chance de dar adeus ao clube após fim de contrato em janeiro. Jogador sonha com voo longe de casa: "Para ganhar uma rodagem"

Por Teresina
Lucas Bacelar (Foto: Emanuele Madeira)Lucas repensa futuro, cogita deixar o River-PI, mas coloca clube na lista de possíveis destinos em 2017 (Foto:Emanuele Madeira)
Por mais otimista que possa tentar ser, o atacante Lucas Bacelar sabe que pode comemorar o aniversário de 22 anos, em janeiro, longe do River-PI. Enquanto curte as férias com a família, em Demerval Lobão, cidade a 30km de Teresina, o jogador aguarda o contato de interlocutores do Galo para negociar a renovação de seu vínculo com o clube. Após dois anos defendendo o Tricolor, o filho de Sima – maior ídolo do clube – tem o fim do contrato, no dia 25 de janeiro, como data limite para remodelar seu futuro nos campos.
- Estou vendo ainda porque meu contrato vai até janeiro. Não conversaram nada ainda comigo e não sei como vai ficar minha situação por causa desses atrasos de salários. Pode ser que eu saia, sim. Para mim, seria bom por causa da experiência, para ganhar uma rodagem – refletiu.
Um dos principais nomes da nova geração tricolor, Lucas Bacelar teve uma ascensão badalada nos dois anos que vestiu a camisa do River-PI. Com o Galo, o jogador integrou o elenco que conquistou dois títulos estaduais e participou da campanha que rendeu, além do acesso à Série C, o vice-campeonato da Série D, ano passado, sob o comando do então técnico Flávio Araújo. Reserva, o jogador marcou dois gols nos dois últimos estaduais e incendiou a torcida ao anotar um dos gols na vitória por 3 a 0 sobre o Estanciano, nas oitavas de final na campanha do acesso tricolor. 

- Eu tenho alguns títulos neste meu início de carreira pelo River-PI, mas quero conquistar um título fora do Piauí. Pode ser agora. Vamos ver o que o clube vai falar nos próximos dias – completa Lucas.
A diretoria do River-PI sinalizou interesse em contar com os jovens jogadores que subiram recentemente da base. Ao todo, sete jogadores podem entrar no radar do técnico Waldemar Lemos, novo comandante do time: Jefferson (goleiro); Leão e Gabriel (zagueiros); Jônatas (meia); Robinho, Sharle e Lucas Bacelar (atacantes). Expoente dessa nova safra, Rhuann foi anunciado como reforço do Central.

CBF define protocolo de homenagens à Chape na final da Copa do Brasil Minuto de silêncio terá toque militar e clipe da Chapecoense no telão. Torcida do Grêmio terá camisa gigante da Chape e se mobiliza para evitar caixões do Inter

Por Porto Alegre

Torcida Chapecoense (Foto: Laio Espíndula)Camisa na torcida irá aparecer na arquibancada da Arena (Foto: Laion Espíndula)
A CBF definiu as homenagens a serem feitas para a Chapecoense na final da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, às 21h45. O duelo entre Grêmio e Atlético-MG, na Arena, em Porto Alegre, será a primeira partida após o trágico acidente que vitimou 71 pessoas na Colômbia. O minuto de silêncio será especial, com homenagens também para os integrantes da imprensa. Nas arquibancadas, a torcida gremista estenderá a camisa girante da Chape, utilizada pela torcida catarinense na Arena Condá. 

O diretor de marketing da CBF, Gilberto Ratto, detalhou todas as homenagens. A arbitragem usará uma camisa verde, estampada com o escudo da Chapecoense com a faixa de luto. Os dois times também levarão o mesmo emblema em seus uniformes, assim como a bola do jogo. Além das bandeiras de Grêmio e Galo, também a da Chapecoense, do Brasil e da Colômbia serão levadas para o gramado do estádio gremista na entrada das equipes. 
O minuto de silêncio também será especial, com toque militar, enquanto um clipe com imagens do clube catarinense, sem som, é exibido nos telões do estádio. Nesse momento, os jogadores ficarão no centro do campo, alternados, junto com representantes da imprensa, segundo Ratto, também para homenagear os jornalistas falecidos na tragédia. Os mascotes dos clubes também usarão uma camisa especial, com os dizeres "Força, Chape".
NA ARQUIBANCADA 
As homenagens da CBF vão ocorrer até a bola rolar. Na torcida, a entidade, claro, não tem ingerência. Os gremistas irão desfraldar uma camisa gigante da Chapecoense, geralmente aberta nos jogos da equipe na Arena Condá. O Departamento do Torcedor Gremista já articulou a situação para ter a camisa gigante na quarta. 
Outra mobilização gremista, essa orquestrada nas redes sociais, pede que os torcedores evitem levar cartazes no formato de caixões ao estádio. O adereço é muito utilizado pelos gremistas em provocações ao rival e apareceu com frequência neste ano nos estádios em alusão ao risco de rebaixamento do Inter. Nas redes sociais, os gremistas pedem que esse tipo de material não seja levado ao estádio para não ser associado com a tragédia. 

Grêmio e Atlético-MG decidem a Copa do Brasil a partir das 21h45. O time gaúcho saiu na frente da decisão com a vitória por 3 a 1 no Mineirão e pode até perder por um gol de diferença que será campeão – não há o critério de gol qualificado na decisão. 

Jogadores do Atlético Nacional querem dedicar Mundial à Chape Apoio dos brasileiros anima jogadores colombianos, que também sofrem com a tragédia da última semana. "Temos de mantê-los sempre presentes", diz Berrío

Por Medellin
Treino Atlético Nacional de Medellín (Foto: Leonardo Lourenço)Atlético Nacional se prepara para a disputa do Mundial (Foto: Leonardo Lourenço)
Os jogadores do Atlético Nacional, da Colômbia, estão cientes de que contarão com o apoio dos brasileiros na disputa do Mundial de Clubes e esperam conquistar o título para dedicá-lo à Chapecoense. Desde a queda do avião da Chape, na madrugada da última terça-feira, os colombianos vêm sendo muito solidários com os brasileiros. O Atlético Nacional, em especial, tem rendido homenagens aos 71 mortos. 
+ Conmebol declara Chape campeão sul-americana

- Desde a tragédia, nós consideramos cada gesto que fazemos como uma oportunidade de dedicar a eles cada um dos nossos triunfos. Fizemos isso contra o Millonarios (no último sábado), pretendemos fazer contra o Santa Fe (domingo que vem). Isso (homenagens) não pode parar apenas em uma partida. Temos de mantê-los sempre presentes, não os esqueceremos - afirmou o atacante Berrío.
– Ouvimos que os brasileiros estão nos apoiando. É muito importante para nós –  completou o atacante Ibarguen. 

O técnico Reinaldo Rueda disse que vários jogadores estão abalados com a tragédia. O Atlético Nacional disputaria a final da Copa Sul-Americana contra a Chapecoense. 

– Alguns jogadores ficaram mais abalados, outros menos. Os que foram a campo no sábado estão melhores. Importante é que eles voltem a jogar – disse Rueda. 

O Atlético viaja nesta terça a Bogotá. Joga na quarta contra o Santa Fe, pela semifinal da Liga Colombiana. Na quinta, viaja de Bogotá ao Japão, com escala em Paris, para a disputa do Mundial de Clubes. No próximo domingo, jogo de volta da semifinal da liga, Rueda deverá escalar juvenis. 
A estreia no Mundial será no dia 14. O adversário ainda não foi definido. O Real Madrid, campeão europeu, está na outra chave.

Chape é declarada campeã e garante ao menos US$ 4,8 mi em premiações Em reunião virtual realizada nesta segunda-feira, cúpula da Conmebol define título da Sul-Americana para clube catarinense, que garante vaga na Recopa e na Libertadores

Por São Paulo
Conmebol ratifica o título sul-americano para a Chapecoense (Foto: reprodução)Conmebol ratifica o título sul-americano para a Chapecoense (Foto: reprodução)
A Conmebol definiu nesta segunda-feira, em reunião virtual, por teleconferência, que a Chapecoense é a campeã da edição de 2016 da Copa Sul-Americana. A decisão já estava tomada desde a última quinta-feira, como revelado pelo GloboEsporte.com, e foi oficializada em reunião virtual do Conselho da entidade – que tem representantes dos 10 países sul-americanos.
A decisão foi comunicada pela Conmebol em seu site oficial. A nota publicada pela confederação diz que a Chapecoense "receberá todas as honras e prerrogativas de campeão da Copa Sul-Americana de 2016". O texto reconhece o Atlético Nacional como vice-campeão da competição.
Além disso, o clube colombiano receberá o prêmio "Centenário da Conmebol ao Fair Play", pela atitude de ter pedido o título para a Chapecoense.
A Chape, que na semana passada perdeu jogadores, comissão técnica e dirigentes na tragédia da Colômbia, agora tem vaga garantida na Recopa Sul-Americana de 2017 (que disputará contra o Atlético Nacional de Medellín em data a ser definida) e na fase de grupos da Taça Libertadores do ano que vem.
A decisão da Conmebol reforça as finanças da Chape. Pelo título da Sul-Americana, o clube catarinense vai receber premiação de US$ 2 milhões (R$ 6,86 milhões). Pela vaga na Recopa, mais US$ 1 milhão (R$ 3,43 milhões). A participação na Libertadores renderá ainda mais US$ 600 mil (pouco mais de R$ 2 milhões) por jogo como mandante. Como fará ao menos três partidas na fase de grupos, o time catarinense já garantiu US$ 1,8 milhão (R$ 6,17 milhões).
Chapecoense Sul-Americana (Foto: Giba Pace Thomaz/Chapecoense)Chapecoense é declarada campeã da Copa Sul-Americana de 2016 (Foto: Giba Pace Thomaz/Chapecoense)

FFP DIVULGA TABELA DO CAMPEONATO PIAUIENSE DE 2017

A Federação de Futebol do Piauí (FFP) divulgou no início da noite desta quarta-feira (30) a tabela completa do Campeonato Piauiense de Futebol Profissional de 2017. Prevista para começar no dia 4 de fevereiro, a competição teve seu início antecipado para o dia 1º de fevereiro em virtude da readequação de datas com o calendário da Copa do Nordeste 2017. A mudança foi confirmada através da Portaria de nº 027/2016, também publicada hoje.

O primeiro turno da competição começa com rodada cheia, com jogos sendo realizados nas cidades de Teresina, Campo Maior, Piripiri e Picos. De acordo com a tabela, a fase classificatória segue até o dia 15 de março de 2017, com semifinais realizadas no dia 19 de março e a final do primeiro turno no dia 26 de março de 2017.

O segundo turno do estadual começa no dia 29 de março, com a fase de classificação seguindo até o dia 1º de maio, as semifinais no dia 7 de maio e a final no dia 10 de maio.

Caso os vencedores de turno sejam diferentes, a grande decisão do Campeonato Piauiense de 2017 será disputada em dois jogos, com datas previstas para 15 e 21 de maio de 2017.
Veja os documentos em anexo:



Att,
Assessoria FFP

ANIVERSARIANDO O NOSSO AMIGO ADRIANO

Foi neste sábado a comemoração de mais um aniversário do meu amigo Adriano que também faz parte do Rachão da Cobrasil, admiro este cara por sua humildade, responsabilidade, um cara nota mil.

Como em todos os anos a tarde foi realizada uma partida entre o Vermelho e o Verde, os dois times tradicionais do Rachão da Cobrasil que é realizado todas as terças e quintas no Campo do Curtume Cobrasil Ltda.

Depois fomos para o trailer do Rafael localizado em frente o Complexo do Menor, " O Espetinho Familiar ", onde rolou muitas bebidas, refrigerantes, feijoada, galinha caipira, espetinhos, farta foi a recepção, após a partida, AMEI!!!

Adriano decidiu jogar um tempo em cada equipe(ele pertence ao Verde), o primeiro tempo o aniversariante jogou no Verde, a sua grande e amada equipe, aos 25 minutos houve uma penalidade máxima em favor do Verde, logicamente o aniversariante foi convidado para bater, e para surpresa de todos, ele perdeu, o o 1ª tempo terminou em 0 x 0.

No segundo tempo Adriano veste pela primeira vez na história a camisa de Vermelho, segundo ele sentiu-se muito honrado em vestir aquela camisa.

Todos queriam que ele fizesse um gol, mas para a surpresa de todos o lateral Bezerra de 64 anos, deu a vitória ao Vermelho, em um cruzamento da esquerda para a direita, o lateral dominou e em seguida colocou no canto direito do goleiro Prego que só olhou a bola entrar, gol de gente grande.

Há um mês atrás fomos joga no Riacho do Meio - Santa Quitéria - MA., e neste próximo sábado 16h00, eles virão pagar o jogo de volta, que será realizado no Campo do Curtume Cobrasil Ltda.

Depois estaremos no Trailer do Rafael novamente.

O aniversariante do dia, Adriano
 Adriano e amigos
 Pedro, Adriano, Bezerra, o artilheiro da partida e Testa
 Zezinho, Adriano, Fumanchú, Barros, árbitro e João Batista
 Agora no trailer do Rafael, comida e bebida a vontade
 O beijo da amizade, Testa em Adriano, do lado outro amigo Zé Carlos.
 Agora teremos outro time de cinquentão em Parnaíba, todos descendentes do Nova Parnaíba, Pedro, Adriano, Evanildo e Bezerra, formam a diretoria, todos vendidos a preço de ouro.
 Adriano e sua linda filha
 Edvaldo, Anderson Braga, Fumanchú e Matheus Braga, meus netos queridos
 Waldeson e sua esposa
Fotos Fumanchú e Jailson

domingo, 4 de dezembro de 2016

Atlético Nacional dá show no campo, na arquibancada e até nos vestiários Torcida monta mosaico, equipe goleia e jogadores reproduzem festa da Chape após classificação para final da Sul-Americana: "Os dois times tinham o mesmo sonho"

Por Medellín, Colômbia
A torcida do Atlético Nacional é um remédio para o espírito. Espanta o mau-humor, invoca a euforia e, a julgar pelo burburinho com som alto, cerveja e paquera do lado de fora do estádio em Medellín, pode até trazer a pessoa amada em pouco mais de 90 minutos. A postura do clube inspira, a paixão do povo de branco e verde que não para de cantar mesmo debaixo de forte chuva emociona, e os jogadores vão no embalo: 3 a 0 com a Chape no peito. Mas eles acharam pouco. O mosaico, o minuto de silêncio, os gritos antes da partida, as faixas celebrando "uma nova família que nasce" e desejando força à torcida, familiares e moradores da cidade catarinense, nada disso foi suficiente para uma equipe que ganhou milhões de novos torcedores para o Mundial de Clubes.

O melhor ficou para o fim. A portas fechadas, enquanto jornalistas aguardavam a saída dos jogadores do vestiário para entrevista, os gritos de "vamos, vamos, Chape" foram novamente ouvidos, desta vez, com os atletas reproduzindo a comemoração da equipe brasileira quando se classificou para a final da Copa Sul-Americana. De arrepiar. O capitão Henriques explicou:

- Desafortunadamente aconteceu, e nós passamos a sentir um gosto muito amargo porque os jogadores de futebol nunca imaginam que isso pode acontecer. Fizemos uma pequena homenagem, cantamos a canção que vimos por todas as redes sociais. É uma pequena homenagem à Chapecoense, porque na verdade para nós foi muito forte. Estamos em aviões a cada três dias.
Presidente do Atlético Nacional, Juan Carlos de la Cuesta, mostrou carinho com os torcedores após a vitória (Foto: Vicente Seda)Presidente do Atlético Nacional, Juan Carlos de la Cuesta, mostrou carinho com os torcedores (Foto: Vicente Seda)





Com os olhos marejados e camisa da Chape, o médico Edson Stakonski explicou ao deixar o vestiário do time de Medellín:

- Tenho de agradecer ao Atlético Nacional, mais uma homenagem muito bonita. Tem aquele vídeo após a classificação para a semifinal da Copa Sul-Americana, com os jogadores e a comissão técnica cantando e comemorando no vestiário, eles fizeram igual. Eles que cantaram, não tinha o vídeo lá dentro. Foi fantástico. Só nos apoiaram. Emocionante. Difícil falar.

O sentimento da arquibancada se resumiu quando a reportagem do GloboEsporte.com, ao lado de outros jornalistas brasileiros, foi abordada por uma torcedora na arquibancada. Muito emocionada, disse que os colombianos sentiram a dor dos brasileiros como se fossem seus próprios amigos ou familiares no avião que caiu em Medellín.

- Fizemos todas essas homenagens do fundo do coração. É algo muito sincero. Todos sentimos muito o que aconteceu - disse a torcedora, se despedindo carinhosamente dos repórteres. 

O presidente do clube, Juan Carlos de la Cuesta, reconheceu que os colombianos absorveram o golpe da tragédia que matou dezenas de brasileiros como se fossem seus conterrâneos no avião da boliviana LaMia. E que essa emoção certamente interferiu na forma apaixonada como a equipe atuou no Atanasio Girardot, conseguindo a classificação para a semifinal do Campeonato Colombiano com o gol de Nieto aos 46 minutos da etapa final:

- Creio que sim, porque a equipe estava muito triste pela situação, primeiro pela tragédia tão grande e depois por não disputar a final, mas a equipe estava descansando há 10 dias para competir nesse momento. Queríamos classificar à fase seguinte primeiro diante de um rival como Millonarios e por outro lado para também render uma homenagem à Chapecoense - De la Cuesta, que esbanjou simpatia após o jogo atendendo pacientemente pedidos de fotos de vários torcedores.
mosaico da torcida do atlético nacional diz "vamo, vamo chape" (Foto: Leonardo Lourenço / GloboEsporte.com)Mosaico da torcida do Atlético Nacional: "Vamos, vamos, Chape" (Foto: Leonardo Lourenço / GloboEsporte.com)





Uribe, por sua vez, lembro do sonho das duas equipes de disputar a decisão da Sul-Americana:

- Todos sentimos como se fosse algo conosco, foi algo muito perto. Foi na nossa terra, era a equipe que iríamos enfrentar. Os dois times tinham o mesmo sonho de jogar a final da Sul-Americana. Foi um golpe muito duro, mas agora é ter muito fé e desejar muita fé às famílias, para quem damos todo nosso apoio.